sábado, 19 de maio de 2007

Carta dum ex-alcoólico

Quinta-feira, Março 30, 2006

carta aqui deixada por charlie

Em primeiro lugar, devo dizer que não há ex alcoólicos.
Um alcoólico é o para sempre.
A minha descida aos infernos surgiu quase sem dar por isso.
Uns copos com os amigos para preencher um vazio que me chamava como a vertigem chama o suicida. Uma vez em casa, já tarde, bebia mais uns quantos e ia deitar-me esquecido de mim.
Na verdade, eu odiava-me.
Queria ser outro. Um ser pleno de interioridade, brilhante como um sol, e eu, nas horas de sobriedade, via apenas um desgraçado em ressaca.
Olhava-me ao espelho e detestava o que via. Ao olhar os meus próprios olhos entrava no espaço que há por trás da superfície lisa e reflectora e sentia o tremendo peso de não encontrar coisa nenhuma.
Bebia então mais. Todos os dias mais.
Passei noites sem vir a casa. Veio o divórcio, e com ele entrei no último estágio da minha degradação. Perdi-me no vazio ainda maior das ligações esporádicas que me deixavam completamente arrasado após o relampejo do céu em ilusão e com a vontade da morte na alma. E foi precisamente quando preparava uma dose de whisky com barbitúricos para pôr um fim a tudo que a conheci.
Primeiro parecia ser uma criança a chorar, depois um gato.
Tinha já todos os comprimidos na mão mas aquele choro cortava-me o pouco que restava no fundo de mim.
- Como se pode alguém suicidar calmamente ao som disto...? - pensei.
Abri a janela do quarto que tinha para enxotar o bicho e vi então debaixo da janela o que me fez descer, cambaleando sobre a minha própria sombra.
Ali na rua estava ela. Deitada e delirando.Ainda muito nova, quase que uma criança. Em estado praticamente de coma alcoólico.Peguei nela e sem saber como levei-a para o meu quarto.Deitei-a e durante toda a noite vigiei, fiz chá, tratei dela como se me tivesse encontrado de repente num outro corpo. Agarrado a uma vida quando pouco antes queria acabar com a minha.
As horas da noite passarem-se em ansiedade, o cansaço a tomar a vez da euforia ilusória do álcool, e à medida que a noite clareava e dava lugar ás cores cruas da realidade, via nascer o dia na minha alma.
Passaram-se seis anos desde essa noite.
Ela saiu ao meio da tarde quando eu descansava da noite perdida.
Ao meu lado encontrei uma folha de papel com umas singelas palavras:

- Obrigado. Foste o meu Anjo da guarda. Salvaste-me a vida...-

Saí de casa, e procurei-a aflito por toda a parte.Pelos bares, recheados de olhares alheios e frios, que de repente assumiam tons de cinza e breu onde antes só vira cor e evasão.
Nunca mais a vi.
Gostava, então, só de encontrá-la mais uma vez que fosse.
Passou-se o tempo...Ao longo destes anos todos uma ideia tomou a pouco e pouco forma. Um novo sentido surgiu de palavras tão conhecidas como estafadas:

- ...escrever direito por linhas tortas.....-

E descobri assim a pouco e pouco como aquele corpo de mulher caído na rua fora a revelação que me salvara nessa noite terrível em que o desespero quase tinha vencido a vontade e alegria de viver que são hoje o meu Eu e a minha verdade profunda.
Salvou-me da única forma que nos podemos salvar que é a partir de nós mesmos.
Nesse mesmo dia procurei os Alcoólicos Anónimos.
Refiz o caminho.
Nunca mais bebi.
Escrevo estas linhas sim, dedico-as a ela que me guarda a toda a hora.
Não sei onde está mas sei-a bem dentro do meu coração.
Foi ela o meu anjo da guarda.
Faz parte da minha história de vida que agora ponho em palavras.
Possam elas algum dia ajudar alguém...

Charlie

2 comentários:

Anônimo disse...

...arrepio.
a. | Homepage | 02.12.06 - 10:57 pm | #

Gravatar Charlie, obrigado pela tua visita e pelo teu comentário, peço desculpa por nao te comentar como mereces, mas voltarei noutra altura, quando se acalmarem os sentidos...
Bjs e bom fim de semana
nadir | Homepage | 29.04.06 - 1:08 am | #

Gravatar onde anda o não-existem-ex-alcoólicos?
maresia | Homepage | 22.04.06 - 8:56 am | #

Gravatar Please Mister Postman, look and see
If there's a letter in your bag for me
Why's it takin' such a long time...

I've been standin' here waitin' Mister Postman
So patiently
For just a card, or just a letter...


Katraponga | Homepage | 20.04.06 - 10:10 pm | #

Gravatar Katraponga, ontem adormeci a delinear uma carta para colocar aqui... mas ao acordar já a tinha esquecido!




Temos de tratar do correio, que isto anda um cadito mal...
floreca | Homepage | 19.04.06 - 11:15 pm | #

Gravatar Há atrasos no correios? Não recebido cartas novas...
Katraponga | Homepage | 19.04.06 - 8:15 pm | #

Gravatar Caro Charlie
Belíssima história, real ou não, importa pela mensagem poderosa que encerra.
Um abraço
Daniel
Daniel Aladiah | Homepage | 04.04.06 - 9:20 am | #

Gravatar A força de Viver... ou a força de lutar por Viver.

Extraordinário este texto. Uma lição de Vida!
Grata pela partilha.

Um abraço e bom domingo
Menina_marota | Homepage | 02.04.06 - 10:57 am | #

Gravatar Cada um de nós tem a sua história…

Emocionada, apenas quero elogiar-te pela coragem de te expores e agradecer-te a partilha deste momento…

beijo
Papoila_Rubra | Homepage | 31.03.06 - 11:52 pm | #

Gravatar

Carta poderosa.
Katraponga | Homepage | 30.03.06 - 8:54 pm | #

Promotora de eventos culturais Ana Maria Costa* Amantedasleituras disse...

Amigo Carlos a coragem encontra no Ser várias formas para se manifestar, esta carta é uma dessa formas.

Parabéns