sábado, 8 de março de 2008

Carta dum vagabundo

Escrevo esta carta como último vestígio de mim mesmo, última pegada na terra antes de levantar-me na leveza e voo do anonimato.
Do coração sinto as batidas em cada passo com que os meus pés descalços pisam a terra sob a qual ele está enterrado.
Vestido de vagabundo, poderei olhar na profundidade do olhar de cada ser humano sem que tenha de suportar em retorno, a cobiça dos seus olhares.
Das riquezas do mundo, ao abdicar delas, serão todas do que sempre foram; do mundo e não das mãos. Essas que num momento que é a vida, avidamente as seguram na ilusão de que a imortalidade dos seus valores lhes confere, pela sua temporária posse, essa mesma qualidade.
Deixarei com alívio esse mundo de fantasia com que todos se iludem e fazem do viver uma peça tragico-cómica mal representada, em que todos os actores se espreitam e fingem acreditar em si mesmos.
Nos meus bolsos não haverá mais nada a não ser o ar para que eu ali possa caber todo em dedos quando o mundo me encher com a generosidade dos elementos.
Vou partir em breve para junto do mar onde vagabundearei livre de obrigações, de compromissos e do peso das invejas desmedidas de que está livre quem já não existe.
Palmilharei as veredas de prata e de fogo, os murmúrios em orvalhos nos lábios e as espumas estremecedoras das infinitas fúrias.
E serei eu e não este personagem com nome que não escolhi. Serei da areia, o grão livre.
Do mar, o sal saboreado na ponta da língua.
E serei por do sol e o beijo da Lua em flor; o infinito verso nu mergulhado na transparência dum corpo feito universo...

Charlie

24 comentários:

Maria disse...

Charlie,

Já tinha saudades destas suas cartas reflexivas.
Parte de si para a plenitude dos elementos, para o mar ...
Leva-me consigo ?
:)

Um beijinho amigo

Maria

Martinha disse...

Uma carta muito bonita Charlie.
O vagabundo é, de facto uma pessoa interessante. Não é materialista e parece-me que o olhar dele para o Mundo é sem segundas intenções. Inocente, como uma criança.
Gostei muito.
Beijinho *

Menina do Rio disse...

Eu jurava que tinha comentado esta. Se não o fiz, perdoe-me.

Vestido de vagabundo, podemos nos despir da ilusão que serpenteia as calçadas no olhar dos passantes.

Um beijo pra ti

Barqueira disse...

Seria trágico se não fosse belo.
O trágico é belo. Definitivo. Sem retornos piegas.
Um prazer. De ler.

© Piedade Araújo Sol disse...

cartas para reflexão, com uma prosa poetica muito bem escrita...

Maripa disse...

Gosto de cartas,gosto de mar, gosto de ilhas,gosto da lua...gostei das suas palavras...e gostei deste "vagabundo".

Posso deixar-lhe um beijo amigo?

Anônimo disse...

bons textos aqui.

www.texto-al.blogspot.com

vais gostar.

Um Momento disse...

Em vagabunda me tornei ao ler esta tua carta ...simplesmente a lua em flor imaginei,no mar das tuas palavras mergulhei e sem saber o que dizer fiquei por tão maravilhada estar com este teu profundo olhar...
Estas tuas cartas são LINDAS!

PS: tens um miminho guardado na minha "casinha"...mas deixo aqui o link para lá chegares:)

http://momentosmimados.blogspot.com/2008/03/meme-na-mira.html

Sopro um beijo GIGANTE ...ao teu coração
Boa semana com tudo de muito bom desejo!

(*)

Nikki disse...

Ola...Vim agradecer os seus comentarios...Obrigada...E já agora, vou dar uma olhada no seu blog...Um beijinho com carinho!!!

Maripa disse...

Obrigada pela sua visita e pela sua beijoca que foi muito bem aceite.
Agora chamar ao seu cantinho, cantinho sem valor? As suas cartas
são para saborear...

Beijo amigo.

The F Word disse...

Então e a liberdade plena tem de desfazer-se dos afectos? Tem mesmo de ser solitária?

intimidades disse...

oi adorei as cartas no blog, com paciencia ainda as leio tods

Jokas

Paula

Bia disse...

Demorei a vir desta vez... e quando chego me deparo com uma carta tão rica de significados, tão profundamente bela, que para apreender todo o seu sentido tenho que ler, reler... e ficar a refletir!

Sempre tenho vontade, amigo, quando chego, de te dizer que desejo tudo de bom e bonito na tua vida, tenho vontade de externar os votos de que teus caminhos tenham sempre o rumo que teus sonhos e projetos delinearam no teu coração, e que o teu sentir seja sempre impulsionado pelas tuas decisões mais acertadas e que mais agradarem a tua alma. Está dito, meu querido!

Deixo-te sorrisos e pétalas para enfeitar os teus caminhos, e um super beijo do meu para o teu coração, com amizade, consideração e carinho.

charlie disse...

Obrigado Bia...
Emocionaste-me até às lágrimas...
Um beijo e obrigado mais uma vez.

Carlos.

Barqueira disse...

Tanto coisa Certa dita numa frase: "Das riquezas do mundo, ao abdicar delas, serão todas do que sempre foram; do mundo e não das mãos.".
O resto também é muito bom e certo, claro.

Um Momento disse...

Releio esta carta vestida de vagabunda na pele absorvendo cada palavra sentida com o coração...

Deixo um beijo imenso desejando-te um bom Domingo e uma semana cheia de cor...


Um sorriso no olhar...

(*)

Menina do Rio disse...

Deixo-te um beijo

Bia disse...

Sem nova carta para apreciar, deixo sorrisos e pétalas enfeitando tua semana e um beijo no coração.

Maripa disse...

Tenho saudades das suas cartas...
Venho espreitar um dia e outro e mais outro,nada.
Posso pedir-lhe para me escrever uma,mesmo pequenina que seja,posso?
Estou perdoada pelo atrevimento?

Beijo carinhoso.

Lumife disse...

Já cá tinha passado e lido mais esta bela carta. Hoje abstraí-me do que me cerca e quis mergulhar no teu pensamento saboreando cada palavra e seu sentido.
Mais uma vez fico extasiado com a facilidade de exposição exprimindo o sentir e o verbo duma personagem.
Mais um texto de antologia.

Um abraço muito amigo

Bia disse...

Saudade é o que me traz a este refúgio tão gostoso de se estar. Desejo que estejas bem, meu querido, e em paz.

Ficam sorrisos de mimosos anjos para enfeitar teu olhar; pétalas colhidas no regaço de lindas fadas, para perfumar tua alma; e um beijo do meu para o teu coração, com muito carinho.

Beatriz disse...

Uma linda carta, amigo, numa forma sincera e profunda de falar sobre este amor (à Liberdade) que há muitos homens cativa, mas que nem todos possuem condições de oferecer-lhe este amor incondicional. Muitos a perdem pelos (des)caminhos de outras paixões.

Por que tanta demora em postar? Acaso uma dessas paixões que te afastaram dos braços da Liberdade estão a tomar todo o teu tempo? (rs)

Amigo, encerrei o 'somentebia' e depois de muito relutar abri um novo espaço onde continuo a falar do amor, seus gozos e dores, saudades e lembranças, numa espécie de catarse... há que se expurgar 'fantasmas' que teimam em se alojar na alma...

Quando sobrar um tempinho (sei que é muito difícil) dá uma chegadinha por lá: http://beatrizmeireles.blogs.sapo.pt, e me verás a desfiar em cartas a memória de um grande amor.

Deixo-te sorrisos e estrelas para enfeitar os sonhos da tua noite, beijos e flores do meu para o teu coração, no desejo de que estejas bem.

Menina_marota disse...

"...E serei eu e não este personagem com nome que não escolhi. Serei da areia, o grão livre.
Do mar, o sal saboreado na ponta da língua.
E serei por do sol e o beijo da Lua em flor; o infinito verso nu mergulhado na transparência dum corpo feito universo..."

Estas palavras identificam o meu ser e espraiam na areia em cada grão molhado o meu eu, a forma de me dar ao mar e ao universo...

Gosto de te ler. Assim.

Bj ;))

marsemcor disse...

Simplesmente AMEI!!!