sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Ata.


Texto decifrado entre as nervuras das rochas nas cavernas da invenção da memória


Ata olhou uma vez mais para o vulto que a noite absorvia, com uma quase sofreguidão, à medida que ele se afastava, caminhando um pouco destacado do grupo de homens.
Na caverna, de repente tornada enorme, os restantes membros da tribo ajeitavam-se em redor dos restos das fogueiras projectando efémeras e grotescas sombras pelas paredes. Enormes e assustadores espíritos emergindo de impensáveis ancestralidades, eternos e intemporais...

Org voltou-se fitando o olhar de Ata por um breve instante antes de sumir-se na escuridão que uma lua cheia prestes a romper o horizonte ainda não iluminava.
Iam para a caçada. Preparar as armadilhas para onde encaminhavam as peças a
abater em salvas de flechas e machadadas.
Todas as luas eles saíam passando vários dias e noites fora. Regressavam depois com a carne que a seguir elas, as mulheres, tratavam e preparavam nas fogueiras.
Inspirou fundo e olhou mais uma vez para Cuítsh. Era jóvem, tão jovem quanto
ela e por isso ainda não ia ás caçadas.
Org tinha-a trazido para ali trocando-a por outras mulheres da sua própria tribo como de resto era hábito no vale onde ela tinha nascido.
Chegara um dia ao acampamento onde vivera sempre com os pais. Com ele tantas mulheres como dedos tinha numa mão e após longa discussão e entrega de objectos e amuletos de parte a parte, sentiu-se de repente no meio do grupo juntamente com mais quatro
moças que com ela tinham crescido.
Quase de imediato Org pegara-lhe no braço e pelo cabelo rindo-se enquanto em agitação e no meio das lágrimas e gritos ela olhara numa súplica para a sua mãe que lhe acenara sem expressão alguma no rosto. O coração batera-lhe com violência e ao início, durante dias a fio, chorara no fundo da caverna sem comer nem beber nem, ao menos, levantar os olhos de entre os braços onde mergulhara a cabeça.

Org era um homem bastante mais velho. Chegara por ferozes disputas a chefe da
tribo e apresentava o corpo coberto de cicatrizes.
Brusco e dominador, não se lhe conheciam filhos.
Havia experimentado muitas mulheres, mantinha ainda algumas mas nunca alguma
lhe dera descendência.
Agora porém, desta vez, estava exultante.
Ata começara a mudar as formas do seu abdómen, tinha outro cheiro, e Org não
cabia em si de contente.
Nas últimas luas tinha aumentado a quantidade de caça trazida.
Presenteava-a com as melhores partes das peças abatidas, saía para trazer-lhe frutos de cheiro e sabores doces e preparara-lhe agora um recanto com peles e penas confortáveis.

Ata suspirou mais uma vez e olhou para Cuítsh, disfarçando um curto sinal por
entre as expressões veladas do rosto...

A lua enchia agora todo o vale a seus pés.
Bem lá ao fundo, por entre ramos da vegetação algo rasteira via-se por uma nesga a entrada da caverna.
Abrigados numa dobra do terreno e deitados ao lado um do outro no que restava dum abraço, Cuítsh e Ata, de corpos gratos e suados, miravam o infinito sob o céu estrelado, enquanto ela de mão sobre o ventre, afagava o Neolítico em suaves passagens de Eternidade e poesia...

Charlie

33 comentários:

Graça Pires disse...

"nas cavernas da invenção da memória" consigo entender o amor de Ata e Cuítsh. Bela história.
Um abraço.

Charlie disse...

Obrigado pela visita e pelo comentário. Sinto-me honrado pelo que do teu tempo despendeste a ler e comentar.

Um beijinho.

MARIA disse...

Impressionante e belo como tudo o que escreve o meu querido amigo Charlie.
Obrigada pela visita ao meu espaço, pela permissão da partilha do teu belíssimo texto, pelos comentários.
Por me deixares ser virtualmente " um dos anjos de Charlie"
:-)
Um beijinho doce e amigo.
Maria

Olhos de mel disse...

Bela história meu amigo lindo! Esse era um tempo em que a vida era simples, a verdade estava em cada palavra, em cada olhar.
Bom fim de semana! Beijos

alexandraonelight disse...

Ah, como gostei disto!
Um grande abraço,
Alexandra

(Vou tomar a liberdade de acrescentar este espaço - de muito, muito valor - aos Espaços Amigos no meu espaço de escritas. Outro abraço!)

Charlie disse...

E como me honras, Alexandra.
Apenas posso acrescentar ao meu muito obrigado, um suave beijo no teu rosto.

Carlos

Charlie disse...

Ola minha querida Olhos doces de Mel.
Na verdade não creio assim tanto na vida simples do Neolítico, e penso até que ela deveria ter passado por períodos bem difíceis. Mas ao olhar as pinturas rupestres e objectos de arte dessa época, dou por mim num salto intemporal, a partilhar a mesma centelha de profunda emoção Humana que os terá tomado então.
Beijinho e boa semana

Olhos de Mel disse...

Oie lindo! Passando e deixando beijos com votos de boas festas!

carla granja disse...

Olá amigo! linda história que aqui presenteias os teus leitores :)
Amigo,como ando oucupada com a venda do meu livro ,ja postei um poema de Natal para todos voçês e cá espero a tua visitinha :)
bjos e boa semana
...._.;_“.-._
...{`--..-.“_,}
.{;..\,__...-“/}
.{..“-`.._;..-“;
....`“--.._..-“
........,--\\..,-“-.
........`-..\(..“-...\
...............\.;---,/
..........,-““-;\
......../....-“.)..\
........\,---“`...\\
....._.;_“.-._ Terno beijo
carla granja

Olhos de mel disse...

Meu amigo lindo! Passando para lhe ver e desejar:
FELIZ NATAL e que o ANO NOVO seja de realizações, paz, saúde e amor!
Beijos

Anônimo disse...

Olá Carlos

Tenho um enigma para resolver e quem sabe tu saberás... Descobrir uma frase que suspeito esteja escrita em papiamento: Desenkusudashi in Mahaguera
SE te lembrares de alguma pista...
tlamy1@gmail.com

Um abraço
t.

Graça Pires disse...

Desejos de Um Natal cheio de Amor e de Luz.
Um abraço.

Menina do Rio disse...

A força do pensamento

A minha sugestão para estes tempos é:
Vamos doar-nos mais e diminuir o individualismo!
Que tal, um pouco mais de atenção aos filhos, aos
companheiros(as), aos almoços de domingo, menos
eu e mais "nós"?
Prega-se tanto amor, mas cada um só vê o seu
desamor; todos correndo numa busca louca de ter,
que acabamos por esquecer-nos de "ser".
Já viram um Maracanã lotado em dia de clássico?
Existe no futebol o chamado "inconsciente coletivo"
Esse "inconsciente" é capaz de virar um jogo!
Então imaginem 10 mil Maracanãs cheios! E o inconsciente
coletivo dessa torcida toda; uns pelos outros!
Não só em tempos natalinos, mas em todos os dias
de nossas vidas! Se é verdade que a FÉ move montanhas,
então imaginem do que somos capazes se direcionarmos
nosso "inconsciente coletivo" uns aos outros; se
"crermos" e agirmos conforme essa crença.
Podemos fazer a diferença...

Esses são os meus votos de Natal!
Beijinhos
(Verô)


"Nenhum homem é uma ilha, isolado em si mesmo;
todos são parte do continente." (John Donne)

elvira carvalho disse...

_________________Paz
_______________União
______________Alegrias
_____________Esperança
____________Amor Sucesso
___________Realizações Luz
__________Respeito harmonia
_________Saúde solidariedade
________Felicidade Humildade
_______Confraternização Pureza
______Amizade Sabedoria Perdão
_____Igualdade Liberdade Boa sorte
____Sinceridade Estima Fraternidade
___Equilíbrio Dignidade Benevolência
__ Força Tenacidade Prosperidade Reconhecimento
_______________!!!!
_______________!!!!
_______________!!!!

FELIZ NATAL
UM ABRAÇO

Olhos de mel disse...

Oie lindinho! Saudade, viu? Bom fim de semana! Beijos

Olhos de mel disse...

Querido amigo! Que no próximo ano, possamos contar com sua presença entre nós!
FELIZ ANO NOVO!
Que ele seja de luz em seus caminhos,
que a paz seja cada vez mais possível
e o amor e justiça renasçam nos corações
da humanidade!
Obrigada pela nossa caminhada, por me
permitir fazer parte de seus amigos.
Beijos

Um Momento disse...

Meu Amigo
O meu tempo tem sido escasso contudo não deixo de te ler:)
Vim desejar que 2009 te realize os teus maiores sonhos e a todos os que amas
Um beijo sincero e agradecido por todo o tempo partilhado que tanto me enche

Abraço forte e TUDO, Tudo de Muito bom!!!!

(*)

Cristina disse...

Depois do tempo, outro tempo virá. Que seja bom.
Feliz 2009.

Martinha disse...

Gostei dessa carta. Fez-me lembrar civilizações em que as mulheres são completamente desvalorizadas, sendo um objecto nas mãos do homem. O amor era vivido de uma forma completamente diferente, trazendo mais sofrimento às mulheres que aos homens.

Voltei, para desejar-te um bom 2009! :)
Beijo *

M@ri@ disse...

Ola meu amigo
descp só agora te visitar.
Primeiro de tudo quero desejar lhes que este novo Ano
seja repleto de vitorias.
Que todos os sonhos sejam realizados.
Seja cheio de saude,paz e muito amor...
Desculpem esta ausencia tão longa,mas nao andava inspirada.
Finalmente vou voltando ao que tanto gosto de fazer
deixo um beijo muito doce
em vossos coraçoes .
Desta vossa amiga que os adora e nunca vos esqueçe.
M@ri@

elvira carvalho disse...

Depois de uns dias de ausência, (desta vez foi o pc que foi para o hospital) estou de regresso.
Agradeço-lhe e retribuo os votos de bom 2009.
Um abraço e bom fim de semana

Lumife disse...

Visitando os meus amigos/as que guardo no coração e desejando-lhes tudo de bom em 2009.

Um abraço

manzas disse...

“Reencarnação”

Foi em tempos… há muito tempo
Um tempo longínquo que já não sei…
Recordadas no momento de um pensamento
Pergaminhos da memória que furtei

http://pensamanzas.blogspot.com/

Uma boa semana com um abraço amigo…

Menina_marota disse...

Já tinha lido e comentado este texto mas, como já tem acontecido muitas vezes, o Blogspot, parece que "come" as minhas humildes palavras...
Vinha ler-te e acabei por reler de novo o texto... metaforicamente simples...

Deixo um beijo e aguardo novas actualizações. ;)

alexandraonelight disse...

Querido amigo,
Lembras-te da "saudade"? Pois é... cá está ela, a fazer das suas! E por isso, aqui volto, bem sabendo que este não será o local mais apropriado, para te lançar um desafio... não literário, mas cálido e saboroso! Vai ver do que se trata, ao meu blogue... e lá ficarás a conhecer mais uma das minhas "facetas"; desta vez, a de "traste" :0)... à qual te convido a aderir (se te apetecer, claro!). E entretanto, para quando mais cartas cheias, cheias de valor, neste recanto?
Um beijo, e as tais saudades, da
Alexandra

♥≈Nღdir≈♥ disse...

Sempre fico encantada com o que escreves.
Tenho andando um pouco distante das visitas, hoje vim especialmente para agradecer o teu carinho e apoio.
Beijinhos

Olhos de mel disse...

Oie lindinho, você sumiu, mas não esqueci você. saudade, viu?
Beijos

Rosa Brava disse...

Bem... passei na expectativa que já tivesses postado algo mais... essa falta de tempo... não dá para "roubar" 10 minutos ao teu tão ocupado tempo e postares letras tuas?
Beijo ;)

Trequita disse...

Amor... distante... está lindo o post

نظير disse...

Que linda história. Sempre me encantas.
Bjs
Nadir

america disse...

veja só que blog interessante encontrei.
me emocionei.
voltarei na esperanças que tenhas voltado a postar.
faz isso não de ficar sumido.
voce não pode...

jardinsdeLaura disse...

Uma bela narrativa!! Duma enorme capacidade inventiva!! Parabéns!!

Pedra do Sertão disse...

Como mulher "das pedras"...vim conhecer esse belíssimo texto! Abraço